sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Encontro com o escritor Sandro William Junqueira


Sugestão de Leitura



Dia de São Valentim


"Abraços que se sentem, Abraços que se leem/Feeling and Reading Hugs" foi uma atividade dinamizada pela Biblioteca Escolar e o Grupo de Inglês (professoras Ana Amaro, Germana Jesus, Isabel Silva e Sónia Antunes) para assinalar o Dia de São Valentim. 
As colegas de Artes Ana Viegas, Paula Africano e Teresa Cavaco fizeram um "muro" com uma Caixa do Correio (onde se podiam enviar os "abraços" escritos) e toda a imagem e promoção da atividade. 
Vários grupos de alunos das turmas do 2.º ciclo foram dando abraços pela escola, ao mesmo tempo que entregavam os boletins para as mensagens/abraços escritos.
Quem requisitou livros nesse dia na BE teve ainda direito a um marcador muito especial!

Realçamos um abraço anónimo, entre os quase 400 abraços escritos e depositados na Caixa do Correio, endereçado a todos os participantes na atividade: "Um abraço é uma corrente, corre de braço em braço até que os braços de abraços se entrelaçam. Os abraços tocam-se, os abraços que abraçam têm que ser verdadeiros e sentidos."

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Guiões sobre questões de género nas aulas de todos os ciclos | e-Books


CIG publica quinto Guião de Educação, dirigido ao ensino secundário, para ajudar os professores a ensinar com uma perspectiva de género. Aos docentes de oito disciplinas pede-se que sublinhem o contributo de mulheres para cada uma das áreas.


Ler mais aqui.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Conferência NETtalks


Ver notícia da Conferência realizada na nossa escola no site da DecoJovem aqui.

domingo, 21 de janeiro de 2018

Farsa de Inês Pereira | AtrapalhArte

Os alunos das turmas do 10.º ano tiveram a oportunidade de assistir à representação da peça "Farsa de Inês Pereira", de Gil Vicente, pela Companhia de Teatro AtrapalhArte. É uma obra recomendada pelo Plano Nacional de Leitura para o 10.º ano de escolaridade.

Desejosa de escapar dos trabalhos domésticos que é obrigada a fazer na casa de sua mãe, a jovem Inês Pereira resolve conseguir um marido. Uma primeira tentativa é feita por intermédio da alcoviteira Lianor Vaz, que lhe indica para marido Pero Marques, aldeão simples, mas rico. Inês recusa o pretendente, considerando-o excessivamente simplório. Contrata então Vidal e Latão, dois irmãos judeus que lhe conseguem o marido dos seus sonhos: Brás da Mata, escudeiro galanteador.”

Mais informações no dossiê elaborado pela Companhia Profissional de Teatro AtrapalhArte aqui.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Encontro com a escritora Lurdes Breda


As turmas do 5ºB e do 6º ano tiveram hoje a oportunidade de conhecer a escritora Lurdes Breda, que cativou os alunos com as suas histórias e a sua simpatia. Natural do concelho de Montemor-o-Velho e autora de mais de de duas dezenas de livros, apresentou alguns deles como "O Abade João", "A nuvem que chovia peixes" e "A avó que sonhava o mar". Com a sua história de vida mostrou também que, com força e determinação, é possível ultrapassar todos os obstáculos. 
Obrigada, Lurdes Breda, pelo dia especial que nos proporcionou!

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Sessões de Plasticologia Marinha


As turmas do 5ºB e 6ºA e B tiveram hoje a oportunidade de assistir a sessões de Plasticologia Marinha promovidas pelo Oceanário de Lisboa com o objetivo de sensibilizar e educar para a problemática dos plásticos nos oceanos, fornecendo aos alunos ferramentas para conseguirem minimizar o seu impacto a este nível, através da alteração de comportamentos.

Encontro com João Pinto Coelho


Ontem a escola recebeu o escritor João Pinto Coelho, vencedor do Prémio Leya 2017 com o livro Os Loucos da Rua Mazur. A sessão iniciou-se com a apresentação do autor pelo aluno João Martinho, seguida do momento musical Allemande, da Partita n.º 2 de Bach para violino, pelo aluno António Bento.
O autor conduziu-nos então através de uma viagem pelos anos terríveis da Segunda Guerra Mundial, nomeadamente pela criação dos campos de concentração e extermínio de Auschwitz e Auschwitz II-Birkenau. Esta temática inspirou o seu primeiro romance Perguntem a Sarah Gross, que o autor apresentou durante a sessão. Foi passado um pequeno documentário sobre os factos ocorridos em Auschwitz, nome alemão dado à cidade polaca de Oswiecim. 
Quanto ao seu segundo romance, Os Loucos da Rua Mazur, João Pinto Coelho referiu que dá a conhecer um lado diferente da Segunda Guerra Mundial, centrando-se na universalidade do mal. Destacou que a compreensão do Holocausto e de outras tragédias semelhantes incide cada vez mais no retrato dos perpetradores. Rlefletindo bem, encontramos pessoas assustadoramente normais, "homens e mulheres capazes de amar os seus filhos, a quem, se fosse perguntado se seriam capazes de cometer atrocidades, negariam com a mesma convicção com que cada um de nós o afirma hoje."
Agradecemos ao autor a magnífica lição de história e humanidade que partilhou connosco!

domingo, 7 de janeiro de 2018

Concurso "Cineastas Digitais" 2016/2017


O aluno João Pinto, da turma do 12ºD do passado ano letivo, venceu o Grande Prémio do Júri no Concurso Nacional "Cineastas Digitais" 2016/2017patrocinado pelo CC "Entre Mar e Serra" e com parceria da DGE, com um Nanovídeo sobre o tema “Proteção Civil – Sismos” que realizou nas aulas de Oficina de Multimédia B, sob a orientação da professora Marina Pacheco. 
O vídeo pode ser visto aqui.

Encontro com o escritor João Pinto Coelho


quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Boas Festas



Com as imagens do Pai Natal e da Árvore de Natal da nossa Biblioteca, a equipa da BE deseja a toda a comunidade educativa Festas Felizes e, porque o Natal também é poesia, partilhamos um poema de David Mourão-Ferreira.

Natal, e não Dezembro

Entremos, apressados , friorentos,
numa gruta, no bojo de um navio,
num presépio, num prédio, num presídio
no prédio que amanhã for demolido...
Entremos, inseguros, mas entremos.
Entremos e depressa, em qualquer sítio,
porque esta noite chama-se Dezembro,
porque sofremos, porque temos frio.

Entremos, dois a dois: somos duzentos,
duzentos mil, doze milhões de nada.
Procuremos o rastro de uma casa,
a cave, a gruta, o sulco de uma nave...
Entremos despojados, mas entremos.
De mãos dadas talvez o fogo nasça,
talvez seja Natal e não Dezembro,
talvez universal a consoada. 

David Mourão-Ferreira

Árvores solidárias


A NOSSA ESCOLA É O NOSSO BAIRRO!
A solidariedade é um dos caminhos que mais gera valores e amplia a liberdade humana. Na solidariedade, redescobrimos o sentido original da palavra respeito, que se prende com a atenção integral ao outro. Na solidariedade percebemos a beleza da partilha e da ação em conjunto, participamos num movimento social que nos envolve.
Este conjunto de ideias deu origem a uma dinâmica que gera, desde há sete anos, uma envolvência global da escola em torno de famílias carenciadas.
Cada família é apoiada semanalmente ou mensalmente, consoante os casos, por um banco alimentar interno, mantido através de uma estratégia que tem evoluído ao longo dos anos e que, atualmente se centra numa atividade desenvolvida no Natal, intitulada “Árvores de Natal Solidárias”.
Esta atividade garante alimentos não perecíveis para grande parte do ano letivo.

Postais de Natal


Como é habitual nesta quadra natalícia, o hall de entrada da nossa escola expõe os Postais de Natal realizados no âmbito das disciplinas de Educação Visual e Inglês.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Presépio em Santo António dos Olivais



A professora Marina Pacheco, com a colaboração das professoras Ana Vinhas, Ana Viegas, Paula Africano, Teresa Cavaco e de alguns alunos do 6ºA e do 7ºD, desenvolveu mais uma atividade em parceria com a Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais: Conceção e pintura de vitrais para o Presépio da Junta  instalado no largo dos Olivais.